Linha entre linha: laboratório de poemas

Esse laboratório é pensado a partir dos aprendizados extraídos de minha pesquisa de doutorado sobre a escrita de Alejandra Pizarnik (poemas e diários) e de minha própria experiência com a escrita. Lendo Pizarnik como uma poeta-leitora e entendendo seus diários como um laboratório de escrita, tive a oportunidade de colocar em questão o meu próprio processo.

Minha intenção com o laboratório é de ampliar a rede de contato com as pessoas que, como eu, têm na literatura um sentido para a vida. Entendo que escrita, leitura e escuta andam juntas, são formas de tocar o Outro e de se entender como sujeito. Nesse sentido é que a literatura é uma ética, um exercício de alteridade. E é isso o que busco com essa proposta: tomar a escrita como uma troca de leituras, impressões, estranhamentos, aproximações e arrebatamentos. A proposta do laboratório é realizar 4 encontros virtuais por semana. Nos encontros, serão lidos poemas e propostos exercícios de escrita com trocas de impressões acerca das leituras e dos poemas produzidos durante o curso.

Plano de aulas

AULA 1

Por que escrevo?, é a pergunta dessa aula. Vamos nos apresentar e perscrutar o que é a escrita em suas mais diferentes dimensões. A escrita em minha concepção é prismática e posso enxergá-la pela perspectiva de pelo menos seis verbos. Seis gestos por meio dos quais tranço uma pele para roçar o mundo. Escrever é amar a trama da língua, o que nela há de infortúnio e maravilha. Escrever é fazer corpo e pede coragem.

AULA 2

Nessa aula, são trabalhadas as diretrizes “espreitar” e “escavar”. Uma breve explanação teórica seguida de leitura de poemas e conversa sobre os textos lidos. Após, proposição de um exercício de escrita.

AULA 3

Nessa aula, são apresentadas as diretrizes “esvaziar” e “estudar”. Uma breve explanação teórica seguida de leitura de poemas e conversa sobre os textos lidos. Após, proposição de um exercício de escrita.

AULA 4

Nessa aula, são apresentadas as diretrizes “escutar” e “ex-crever”. Uma breve explanação teórica seguida de leitura de poemas e conversa sobre os textos lidos. Após, proposição de um exercício de escrita.

A ideia é que as aulas sejam bastante dialogadas e que os participantes exponham suas leituras e produções, contribuindo e agregando os processos de escrita uns dos outros.

Datas: Quatro encontros semanais com 2 horas de duração: 7, 14, 21 e 28 de abril.

Horário: 19h às 21h.

Carga horária: 8h/aula

O curso é online e ao vivo, mas aulas são gravadas e enviadas por e-mail. Assim, há a opção de acompanhá-lo integralmente offline.

Certificado incluso.

Docente

Fernanda Marra, é poeta, autora do livro taipografia (2019), tem poemas publicados nas revistas Cult, Escamandro, Germina e Ermira, é doutora em Teoria Literária pela UnB (2020), com pesquisa sobre a obra da poeta Alejandra Pizarnik, estuda psicanálise e integra o grupo Corpo de Voz, de performance e vocalização de poemas. É natural de Goiânia, onde atua, desde de 2007, como gestora de controle do Estado de Goiás sem nunca abandonar sua ligação com a pesquisa acadêmica e a arte literária. Neste ano, propõe-se a ministrar um laboratório de escrita de poemas a partir de sua experiência com a escrita e da pesquisa desenvolvida no campo da teoria literária sobre a obra da poeta Alejandra Pizarnik.

Instagram: @amaratrama

Investimento

Investimento: R$ 170,00

Investimento para pessoas autodeclaradas negras, indígenas e trans: R$ 150,00

Formas de pagamento:

Crédito e boleto bancário

Transferência bancária (solicitar dados via e-mail oribeeditorial@gmail.com ou inbox via instagram)

PIX: Chave e-mail: oribeeditorial@gmail.com

Após realizar o pagamento, insira o comprovante no formulário de inscrição.

Em caso de dúvidas e sugestões, envie-nos um e-mail: